Sead participa do Seminário de Agroecologia e Produção Orgânica da região Norte

Créditos imagem: 
ASCOM SEAD

CAROLINA GAMA

A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) promoveu, junto da Secretaria de Governo da Presidência da República (Segov), Seminário de Agroecologia e Produção Orgânica da região Norte, entre os dias 12 e 14 de dezembro. O evento aconteceu em Belém (PA), em parceria com o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap). O encontro reuniu cerca de 150 pessoas dos sete estados da região.

O Seminário teve como objetivo promover a troca de experiências e boas práticas entre os Estados, além de traçar estratégias para a construção de um compromisso estadual para a promoção da agroecologia e da produção orgânica até 2020. De acordo com o coordenador-geral de Agroecologia e de Produção Sustentável da Sead, Marco Pavarino, o evento é o terceiro seminário promovido pela Sead, junto aos Governos Estaduais neste ano. “Já fizemos na região Sul, Sudeste, e iremos encerrar o ano aqui na região Norte.  Esses seminários fazem parte das ações de divulgação do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo) e de interação entre a Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica com as políticas estaduais. Então nos ajuda a interagir com as políticas estaduais quando elas existirem, e, quando não estiverem ainda formuladas, como poderemos ajudar a fomentar isso”

Pavarino adiciona que a região Norte tem algumas especificidades. “Então o olhar da agroecologia sobre a Amazônia é um olhar diferente, é um olhar que busca muito mais como é que a gente fortalece o uso dos recursos naturais e a preservação ambiental. Porque é um bioma que está bastante conservado e os extrativistas se utilizam desse bioma, vivem desse bioma de uma forma sustentável. Então é muito mais um olhar da agroecologia como conservação daquilo que já está estabelecido do que uma recuperação, como temos nos outros biomas.”

Para a representante do Conselho Nacional das Populações Extrativistas do Acre (CNS), Ângela Mendes, foi gratificante a troca de informações. Ela comenta que levará os aprendizados para o seu estado. “E que a gente possa trabalhar para executar, para implementar, para construir essas propostas incluindo sempre as populações tradicionais, incluindo quem de fato faz a agricultura orgânica. Logo, temos a missão de envolver os jovens e as crianças nessa temática, porque afinal de contas são eles que nos inspiram e são eles que levarão para o futuro essa temática, esse modo de vida que não é apenas um conceito. É uma política pública, a agroecologia é um modo de vida, uma escolha por uma vida melhor, por um planeta melhor.”

 

Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Assessoria de Comunicação
Contatos: (61) 2020-0120 e imprensa@mda.gov.br

Autor(es): 
Carolina Gama - SEAD/CC/PR